Notícias

A importância de discutir mais o câncer de cabeça e pescoço: diagnóstico precoce e maiores chances de cura

30/04/2019

Imagem notícia

Em abril, chamamos atenção para um tipo de câncer não tão conhecido pela população em geral: O câncer de cabeça e pescoço. Este nome se dá ao conjunto de tumores que se manifestam na boca, na faringe e na laringe, entre outras localizações da cabeça e do pescoço, sendo cânceres de cavidade oral e laringe um dos tumores mais comuns dessa região, e mais de 60% deles, ocorrem na glote.

A maioria dos cânceres de cabeça e pescoço se inicia nas células escamosas que revestem as superfícies úmidas da região, por exemplo, dentro da boca, do nariz e da garganta. Os tumores de células escamosas são muitas vezes referidos como carcinoma de células escamosas de cabeça e pescoço. Os tumores de cabeça e pescoço também podem começar nas glândulas salivares, mas são relativamente raros.

Segundo as estimativas do Instituto Nacional do Câncer (INCA), os cânceres de cabeça e pescoço são mais frequentes em homens na faixa dos 50 anos de idade e representam o segundo tipo de doença com maior incidência na população masculina e o quinto mais comum entre as mulheres. Apesar desses dados, os cânceres de cabeça e pescoço representam, aproximadamente, apenas 4% dos casos de câncer, fazendo com que esses tumores não sejam tão conhecidos pela sociedade.

Estudos mostraram uma grande ligação entre o consumo de álcool e de tabaco com os cânceres de cabeça e pescoço, tornando esses dois elementos fatores de risco importantes para o desenvolvimento destes tumores, especialmente o câncer de boca, orofaringe, hipofaringe e laringe. Pelo menos 75% dos cânceres de cabeça e pescoço são causados pelo uso de tabaco e álcool. Além disso, outro fator de risco relacionado aos cânceres de cabeça e pescoço é a infecção pelo papilomavírus humano (HPV), vírus transmitido principalmente pelas relações sexuais que atinge a pele e as mucosas. O HPV está ligado, particularmente, ao câncer de boca e orofaringe, que envolve as amígdalas e base da língua.

Em estado inicial, os tumores de cabeça e pescoço podem não apresentar sintomas. Porém, à medida que o câncer evolui, sinais começam a surgir nas regiões afetadas. Os principais sintomas incluem o aparecimento de um nódulo, uma ferida que não cicatriza, dor de garganta que não melhora, dificuldade para engolir e alterações na voz ou rouquidão. Além deles, manchas brancas ou vermelhas na gengiva, língua ou no revestimento da boca, inchaço da mandíbula, hemorragias ou dor na boca, dificuldade para respirar ou falar, dor ao engolir, dor no pescoço ou garganta que não cessa, dores de cabeça frequentes, dor ou zumbido nos ouvidos também podem ser sinais da doença. De uma forma geral, existência de algum desses sintomas por mais de duas semanas já exige atenção. É importante lembrar, entretanto, que estes sinais também podem ser causados por outras condições clínicas. Se tiver qualquer um desses sintomas é necessário conversar com seu médico.

Para estas doenças sejam detectadas de forma precoce, é indispensável que os pacientes que identifiquem os fatores de risco dentre os seus hábitos, tenham informações sobre os cânceres de cabeça e pescoço e procurem fazer exames de rotina frequentemente. Por isso, a realização de campanhas sobre o tema é essencial para disseminar informações sobre prevenção e detecção precoce desse tipo de câncer.

Quando diagnosticado logo no início, as chances de cura podem chegar a 80%. O diagnóstico é feito por meio de avaliação clínica, que pode ser realizada por um médico ou mesmo um dentista, sem necessidade de equipamentos especiais, além de biópsia e exames de imagem, como tomografia, ressonância magnética ou tomografia por emissão de pósitrons (PET). Além disso, para auxiliar no diagnóstico precoce, a prática de ter uma atenção redobrada aos sinais que o corpo oferece ajuda muito, principalmente nas áreas de fácil observação como pescoço, cabeça e boca. Dessa forma, é possível tratar precocemente as lesões pré-malignas.

Levando em consideração os fatores de risco para o desenvolvimento de tumores de cabeça e pescoço, é possível apontar um conjunto de ações que reduzam a chance de aparecimento da doença. Evitar o fumo ou parar de fumar e reduzir o consumo de álcool diminui consideravelmente a possibilidade de desenvolvimento da doença, visto que quanto mais prolongado e intenso for o uso do álcool e do fumo (incluindo cigarro, cigarrilha, charuto, narguilé ou cachimbo), maior o risco de desenvolvimento de tumores na cabeça e pescoço.  Outra ação que deve ser tomada como forma fundamental de prevenção é a vacinação contra o HPV tanto para mulheres quanto para homens. Atualmente, meninas de 9 a 14 anos e meninos de 11 a 14 anos já podem tomar a vacina gratuitamente no Sistema Único de Saúde. Para outros grupos etários a vacina está disponível em serviços privados de saúde.

Após o diagnóstico e a análise do avanço da doença, os médicos discutirão com o paciente as opções de tratamento. Alguns fatores podem ser relevantes na escolha do tipo de tratamento, como o estado geral de saúde, idade, estadiamento da doença, localização exata do tumor, idade do paciente, histórico familiar, além de outras considerações pessoais. As principais opções de tratamento para pacientes com câncer de cabeça e pescoço podem incluir cirurgia, radioterapia, quimioterapia e terapia alvo. Na maioria dos casos, mais do que um desses tratamentos ou uma combinação deles podem ser utilizados.

Um grande aliado no diagnóstico da doença é o dentista. Muitas vezes ele é o primeiro a entrar em contato com o tumor. Sendo assim, munidos de informações a respeito dos tumores de cabeça e pescoço, os pacientes (principalmente aqueles que estão dentro dos fatores de risco) precisam manter a frequência de visitas ao dentista, conservando a higiene bucal, ficando atento aos sinais visíveis da cabeça e do pescoço e procurando um especialista caso note qualquer anormalidade.

Grupo Oncologia D'Or

Acreditar
CEHON
Central Clinic
Fujiday
Instituto de Oncologia do Vale
NeoH
Onco Brasília
Oncologia D'or

Desenvolvido por Casa da Criação