Notícias

Hábitos Saudáveis e Atenção à Saúde: Grandes Armas Contra o Câncer

Imagem notícia

Segundo um estudo recente do Departamento de Medicina da Universidade de São Paulo, lançado em abril deste ano pela revista Cancer Epidemiology, o estilo de vida responde por 63 mil mortes de câncer no Brasil. Ou seja, um terço das mortes causadas por 20 tipos de câncer em nosso país poderia ser evitado com mudanças no estilo de vida das pessoas. Repensar os hábitos é fundamental para melhorar a qualidade de vida e prevenir doenças, como o câncer.

A OMS, Organização Mundial de Saúde, estima que, somente em 2018, 9,6 milhões de pessoas tenham morrido em decorrência de algum tipo de câncer. Para além das novidades em tratamento e diagnóstico, o que muitos estudos recentes vêm mostrando que é possível alterar esse cenário com mudança nos hábitos de vida das pessoas. Tabagismo, consumo de álcool, excesso de peso, alimentação não saudável e falta de atividade física são fatores de riscos associados a 114 mil casos da doença.

Falando especificamente de câncer de pulmão, que é o segundo mais comum em homens e mulheres no Brasil (sem contar o câncer de pele não melanoma), o hábito do tabagismo está extremamente ligado ao desenvolvimento deste tumor. A ligação é tamanha que no fim do século 20, o câncer de pulmão se tornou uma das principais causas de morte evitáveis. Segundo o INCA, Instituto Nacional do Câncer, pelo menos 85% das mortes por câncer de pulmão está associado ao consumo do tabaco e seus derivados.

O consumo excessivo de álcool também é um fator de risco que aumentam as chances de desenvolvimento de tumores. Estudos analisam que existe uma relação entre o consumo de álcool e o desenvolvimento de tumores de cabeça e pescoço, especialmente o câncer de boca, orofaringe, hipofaringe e laringe. Além disso, a ingestão de bebidas alcoólicas influencia também no desenvolvimento de diversos tumores gastrointestinais como o câncer de esôfago, de estômago e principalmente o câncer de fígado, que pode se desenvolver a partir da cirrose hepática, doença grave associada ao alcoolismo.

É importante ressaltar que vários estudos comprovam que não só o consumo regular, aquele que vira hábito, é considerado um fator de risco ao desenvolvimento de tumores. Também o consumo excessivo e esporádico de qualquer tipo de bebida alcoólica, em qualquer quantidade, é também visto como fator de risco.

Segundo o INCA, Instituto Nacional de Câncer, cerca de 13 em cada 100 casos de câncer no Brasil são atribuídos ao sobrepeso e a obesidade, sugerindo uma carga significativa de doença pelo excesso de gordura corporal. Para o órgão, o excesso de peso corporal está fortemente associado ao risco de desenvolver 13 tipos de câncer: esôfago, estômago, pâncreas, vesícula biliar, fígado, intestino (cólon e reto), rins, mama, ovário, endométrio, meningioma, tireoide e mieloma múltiplo.

Os estudos apontam que o aumento do risco de desenvolvimento de câncer em pessoas com sobrepeso está ligada a inflamação dos tecidos. A obesidade é hoje entendida como causadora de um processo inflamatório crônico, pano de fundo para enfermidades díspares como ataques cardíacos, diabetes, câncer e doenças reumatológicas.

Várias análises mostram a obesidade e o sobrepeso como influenciadores no surgimento do câncer de mama em mulheres por alterar a quantidade de estrogênio produzido pelo organismo. Para os homens, o excesso de peso pode diminuir a produção do hormônio testosterona, o que pode influenciar no surgimento do câncer de próstata. Além disso, alguns estudos apontam que o aumento na produção de insulina, causado pela obesidade, pode também estar relacionado ao aparecimento do câncer de cólon e reto.

A conclusão de todas essas análises é que ao adotarmos hábitos de vida saudáveis, além de melhorarmos a nossa qualidade de vida, reduzimos a chance do surgimento de vários tipos de câncer. É uma excelente notícia e uma forma de prevenção que só depende da pessoa, ao contrário dos fatores genéticos e hereditários, sobre os quais não se tem qualquer controle. Uma nutrição balanceada, baseada em uma dieta rica em alimentos naturais como frutas, legumes, verduras, cereais integrais, feijões e outras leguminosas, evitando comidas congeladas prontas para consumo, ultra processados e industrializados, junto com a prática frequente de exercícios físicos podem prevenir novos tipos de câncer.

Alguns tipos de tumores também podem ser evitados pois já existe vacina contra o seu principal fato de risco: o HPV. O Papilomavírus Humano – HPV é muito frequente e acomete a grande parte dos adultos em algum momento da vida. Porém, em algumas situações, a persistência do HPV por longos períodos faz com que ocorram alterações no DNA das células que podem evoluir para um câncer. Os principais tipos de câncer ligados ao HPV são o de colo de útero, de pênis, de boca, das regiões vaginais e anais. A vacina contra esse vírus, contudo, já é distribuída gratuitamente pelo SUS e é indicada para meninas de 9 a 14 anos e meninos de 11 a 14 anos, fazendo com que seja possível prevenir também este fator de risco.

Além disso, ir ao médico regularmente, bem como realizar check-ups e exames preventivos periodicamente também desempenham um importante papel na prevenção ao câncer, pois mantém a pessoa atualizada sobre a sua saúde e aumentam as chances de diagnóstico na fase inicial da doença. Na área da oncologia, quando mais cedo o câncer é diagnosticado, maiores são as chances de cura.

 

Desenvolvido por Casa da Criação